Projetos

Sistemas Supramoleculares Aplicados ao Incremento de Solubilidade de Formas Sólidas de Fármacos



A presente proposta é um projeto de pesquisa básico experimental visando a obtenção de novas formas sólidas de insumos farmacêuticos. Utilizando tal tema, o projeto está voltado à busca o desenvolvimento de sistemas supramoculares baseados em cocristalização e amorfização de formas sólidas de insumos farmacêuticos ativos (IFA). Essa visa o design e síntese de estruturas moleculares no estado sólido com propriedades desejadas, baseadas na compreensão e exploração das interações intermoleculares. Assim, o projeto consistirá na modificação no arranjo de interações intermoleculares do IFA, obtendo novas formas sólidas dos fármacos haloperidol, dapsona e carvedilol, a partir de diferentes condições físico-químicas. Com os materiais obtidos serão realizados estudos de caracterizações estruturais e químicas (solubilidade, estabilidade, entre outras) avaliando a potencialidade das novas formas sólidas dos fármacos.

Responsável pelo projeto: Prof. Dr. JACKSON ANTONIO LAMOUNIER CAMARGOS RESENDE


SÍNTESE, CARACTERIZAÇÃO E ESTUDOS BIOLÓGICOS DE COMPOSTOS DE COORDENAÇÃO OBTIDO COM OS METAIS COBALTO, NÍQUEL E RUTÊNIO E LIGANTES HETEROCÍCLICOS NITROGENADOS

O projeto tem como objetivo o desenvolvimento de novos compostos de coordenação com os metais Níquel, Cobalto e Rutênio, determinando a sua rota de síntese, estrutura por métodos espectroscópicos (IR, UV-vis e Difração por Raios-X) e por Analise Térmica (TG/DSC). O novos compostos sintetizados terão a sua ação biológica: Atividade microbicida (ação linhagem de bactérias Gram negativas e positivas) e Atividade Antitumoral frente a linhagens de células tumorais de mama (MCF-7).


Responsável pelo projeto: Prof. Dr. WAGNER BATISTA DOS SANTOS
COLABORADORES: PROFA. DRA. ADENILDA CRISTINA HONÓRIO FRANÇA
                                  JACKSON ANTONIO LAMOUNIER CAMARGOS RESENDE



Produtos naturais para o tratamento de lesões de pele
O presente projeto objetiva a busca de produtos naturais de origem animal ou vegetal que possuam ação cicatrizante e antimicrobiana em lesões de pele. Dentro deste projeto encontram-se diversos subprojetos, dentre eles o projeto intitulado "Desenvolvimento e Caracterização de Membranas de Látex de Hevea brasiliensis e Própolis Scaptotrigona polysticta para Tratamento de Queimaduras" atualmente com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso.


Responsável pelo projeto: Profa. Dra. Paula Cristina de Souza Souto
COLABORADORES: PROFA. DRA. NARA CRISTINA DE SOUZA
                                  PROF. DR. JOSMARY RODRIGUES SILVA


INATIVAÇÃO FOTODINÂMICA DE MICRORGANISMOS
A terapia fotodinâmica, PDT, é um procedimento clínico que visa eliminar uma patologia utilizando a combinação de um fotossensibilizador, FS, excitado por fótons com comprimento de onda específicos, que podem ocasionar a morte celular por intermediários citotóxicos do oxigênio molecular ou outros radicais livres que estão presentes nos tecidos biológicos e são ativados pela combinação de luz +FS. O conhecimento de como as células reagem após o processo de irradiação, pode dar indicação da forma de crescimento das colônias. Esta análise pode ser feita a partir de resultados microscópicos e processamento de imagens. Embora as imagens por si só revelem informações úteis, a interpretação plena só é conseguida através da aplicação de técnicas de tratamento de imagens. Apesar de ter sido introduzido um grande número de parâmetros, a estrutura irregular das colônias e sua capacidade de ocupar espaço ainda são difíceis de serem descritas visto que, como em muitas estruturas irregulares observadas na natureza, as colônias apresentam padrões fractais. O conceito de fractal tem sido aplicado para descrever estruturas irregulares e complexas. O crescimento de colônias de bactérias e fungos tem sido estudado com o propósito de entender os mecanismos cooperativos que levam a formação de estruturas complexas. Desta forma, o principal problema a ser abordado neste projeto é a investigação dos mecanismos responsáveis pela fotoinativaçao de microrganismos. O conhecimento de tais mecanismos relacionados a forma como as células reagem após o processo de irradiação fornece indicação do modo como crescem as colônias.


Responsável pelo projeto: Profa. Dra. Nara Cristina de Souza
COLABORADORES: PROF. DR. JOSMARY RODRIGUES SILVA
                                             DRA. MARLI LEITE DE MORAES
                                  PROFA. DRA. PAULA CRISTINA DE SOUZA SOUTO

Embalagem ativa de caroço de algodão: Uma alternativa biodegradável para a substituição de embalagens derivadas de petróleo
Materiais derivados de petróleo se tornaram um grande desafio, tanto pela obtenção da matéria-prima como pelo descarte. Por este motivo, há uma crescente busca por novos materiais que sejam de baixo custo, de fácil degradação e utilizem matéria-prima acessível. Neste contexto que se insere este trabalho, que propõem desenvolver uma embalagem alimentícia utilizando o caroço do algodão, um resíduo da separação da fibra de algodão. Esta embalagem terá a adição de quitosana, o que lhe conferirá atividade antimicrobiana e antioxidantes, portanto este produto além de resolver o problema de descarte de resíduos, o transformará em matéria-prima com valor agregado. A embalagem proposta tem um processo de elaboração simples, necessitando apenas de um agitador para a mistura das matérias-primas e uma prensa para a moldagem das bandejas apresentando como vantagem a sua biodegradabilidade e atuação como uma embalagem ativa devido as suas propriedades antimicrobianas e antioxidantes, contribuindo assim para o aumento da vida-de-prateleira do alimento nela armazena.

Responsável pelo projeto: Profa. Dra. Paula Becker Pertuzatti

Desenvolvimento e caracterização de sistemas de liberação modificada de agentes imunomoduladores para atuação em células tumorais
Estudos mostram que a associação de microesferas com hormônios ou proteínas, apresenta capacidade imunomoduladora sobre os fagócitos do colostro, e sugerem que a adsorção destes compostos a microesferas tem efeitos imunoestimulatórios com potencial para futuras aplicações em doenças infecciosas ou em tumores. É possível que interações de componentes solúveis e celulares do colostro, de forma direta ou por sistemas de liberação possa constituir um alternativa para a imunoterapia de tumores. Assim, o objetivo deste projeto é avaliar a atividade funcional de macrófagos de colostro na presença de nanofrações de microesferas com imunomoduladores sobre linhagens de celulares tumorais.

Responsável pelo projeto: Prof. Dr. Eduardo Luzia França

Desenvolvimento de filmes indicadores de qualidade de alimentos a partir de polímeros biocompatíveis e extratos vegetais com vistas à aplicação em embalagens ativas e inteligentes.
Na última década, houve um crescente interesse pelas embalagens denominadas ativas ou inteligentes. Embalagens inteligentes são aquelas que podem indicar, em tempo real, ao fabricante e ao consumidor o estado de conservação de alimento e se o mesmo é próprio para o consumo. Dentre as tecnologias disponíveis para as embalagens inteligentes, estão o monitoramento por radiofrequência, códigos de barra, sensores de gás, sensores biológicos e sensores colorimétricos, sendo que essas tecnologias podem ser parte do material da embalagem ou acopladas. Um bom material para uma embalagem inteligente deve ser de baixo custo e fornecer a informação desejada de forma clara, inequívoca e simples, de forma as ser facilmente compreendida tanto por fabricantes e vendedores, quanto pelo consumidor final. Desse modo, os sensores colorimétricos possuem a vantagem de indicarem visualmente, através da mudança de cor, possíveis alterações no alimento. As alterações indesejadas nos alimentos são geralmente acompanhadas de mudanças de pH ou da produção de compostos que podem ser detectados através de reações colorimétricas, o que permite que sensores colorimétricos de pH ou de compostos específicos possam ser utilizados como parte de uma embalagem inteligente, sendo que a literatura já relata o desenvolvimento de embalagens inteligentes com estas características como por exemplo detetores de sulfito de hidrogênio e indicadores de qualidade de pescados, sendo que tais indicadores são feitos com base em uma matriz polimérica e a partir de substâncias bem estabelecidas como indicadores de pH. Contudo, é de amplo conhecimento que tais indicadores tendem a serem tóxicos, o que pode comprometer a qualidade do alimento, assim faz-se necessário a busca por substâncias indicadoras com baixa toxicidade e maior biocompatibilidade. Quanto à matriz polimérica, há um crescente interesse no desenvolvimento de embalagens que utilizem polímeros naturais que possuam baixa toxicidade e biocompatibilidade, tais como quitosana, amido, gelatina, pectina e outros. Desse modo, este estudo propõe o desenvolvimento de filmes indicadores a partir de blendas de polímeros naturais e extratos vegetais. Serão desenvolvidas blendas poliméricas com diversas proporções de polímeros e com a incorporação de extratos vegetais como indicadores colorimétricos de pH. Os filmes serão caracterizados através de espectroscopia FT-IR, UV-Vis, solubilidade em água, capacidade de transmissão de vapor de água, termogravimetria, propriedades mecânicas, microscopias óptica, de força atômica ou MEV, além de eficiência de resposta de cor, através de teste de sensibilidade em alimentos e em soluções de diversos pH. Espera-se desenvolver filmes poliméricos resistentes, eficientes e sensiveis que possam ter caractgerísticas para fazer parte de uma embalagem, atuando como indicadores visuais de qualidade de alimentos.


Responsável pelo projeto: Prof. Dr. Ricardo Stefani



Logo da UFMT
Câmpus Cuiabá

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-8000

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Araguaia

Unidade I - Pontal do Araguaia
Avenida Universitária, nº 3500
Pontal do Araguaia - MT
CEP: 78698-000

(66) 3402-1108

Unidade II - Barra do Garças
Avenida Valdon Varjão, nº 6390
Barra do Garças - MT
CEP: 78605-091

(66) 3402-0736

Funcionamento Administrativo 08:00 às 11:30 e das 14:00 às 17:30 (horário local)

Câmpus Sinop

Avenida Alexandre Ferronato, nº 1200
Bairro Residencial Cidade Jardim - Sinop - MT
CEP: 78550-728

(66) 3533-3100

(66) 3533-3122

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Várzea Grande

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-6296

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30