Projetos de Extensão da UFMT levam alegria a crianças hospitalizadas
 UFMT - Projetos de Extensão da UFMT levam alegria a crianças hospitalizadas

Projetos de Extensão da UFMT levam alegria a crianças hospitalizadas

Publicado em Notícias | 14/05/2019

Iniciaram nesta segunda-feira (13) as atividades de extensão dos Projetos "Anjos da Enfermagem" e Contos que eu Conto", ambos vinculados ao Programa BRINCAR, da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Câmpus de Cuiabá. O objetivo dos mesmos é garantir o direito da criança hospitalizada de receber uma assistência adequada de acordo com o seu desenvolvimento infantil, valorizando através disso a ludicidade, o brincar, o aprender e a literatura.
As atividades compreendem visitas nos setores de pediatria do Hospital Universitário Júlio Muller, Pronto Socorro de Cuiabá e Pronto Socorro de Várzea Grande. Ambas as ações têm como base terapias recrativas voltadas às crianças hospitalizadas, por meio de musicoterapia, palhaçaria, danças, contação de histórias, teatros de fantoches e dramatização.
Sob coordenação da professora Genesis Vivianne Soares Ferreira Cruz, os projetos iniciaram em 2018 e são desenvolvidos pelos acadêmicos de enfermagem, com participação de membros externos da equipe multiprofissional do hospital – enfermeiros, técnicos de enfermagem, pedagogos, psicólogos, educadores físicos e etc. – e eventuais voluntários.
Segundo a professora, na enfermagem pediátrica existe um grande potencial para a utilização das práticas lúdicas que favorecem na compreensão de um cuidado humanizado adequado às necessidades das crianças e das famílias. “O adulto entende o porquê dele estar em um hospital e a necessidade de alguns procedimentos - as vezes dolorosos e invasivos - a criança não. Abordando a criança dessa forma ela se sente acolhida, amparada, e dentro do seu ambiente próprio: um ambiente de brincadeiras, desenvolvimento e estímulo”, afirma.
Para Taina Maria Gonçalves, estudante de Enfermagem, participar da ação mudou seu olhar tanto profissional, quanto como ser humano. “Chegar lá e ver o sorriso no rosto delas ao nos reconhecer é muito gratificante. Não costumamos dar muita atenção para essas pequenas coisas e muitas vezes para as pessoas internadas essas fazem toda a diferença. O projeto me fez ter um olhar diferente sobre o ser humano em si. Acredito que me tornou uma pessoa melhor”, conta.
A ação “Conto que eu Conto” é a terapia baseada na contação de histórias infantis ligadas à fase de desenvolvimento da criança. O objetivo é incentivar a leitura nas crianças e estimular os pais para que leiam com os filhos, especialmente no ambiente hospitalar, pois alivia a tensão e ocupa o tempo da criança para que ela não fique ociosa.
Outra parte da atividade oferece às crianças a oportunidade de também contarem uma história por meio de textos e desenhos. Ao final, são selecionadas as mais interessantes para compor um livro infantil que leva a autoria delas.
“Além de possibilitar com que as crianças tenham contato com livros e de estimular a criatividade, deu a oportunidade tanto a nós, graduandos, quanto às crianças, de conhecermos diferentes histórias e vivenciar momentos sob novas perspectivas. Após participar desse projeto pude perceber quais as necessidades de uma criança hospitalizada, como o profissional deve atuar e os benefícios de ter projetos como esse dentro de uma unidade hospitalar”, explica Rebeca Guimarães que participou da ação no ano passado como integrante do grupo e hoje atua como monitora.
É possível acompanhar as atividades desses projetos pelo Instagram @anjosdaenfermagem.mt e @contosqueeuconto ou pelo site do projeto.

Imprimir Enviar Notícia

Rodapé Animado UFMT