Pedro Pedrossiam recebe título de doutor honoris causa da UFMT
 UFMT - Pedro Pedrossiam recebe título de doutor honoris causa da UFMT

Pedro Pedrossiam recebe título de doutor honoris causa da UFMT

Publicado em Notícias | 10/12/2010

O Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) realizou sessão extraordinária hoje (10) de manhã, no Teatro Universitário para outorga de título de doutor honoris causa ao ex-governador de Mato Grosso, Pedro Pedrossian, e ao presidente da Soka Gakkai Internacional (SGI), Daisaku Ikeda, e de professor emérito ao professor aposentado, Benedito Figueiredo. Autoridades acadêmicas, políticas e militares, ex-reitores, professores, técnicos-administrativos e alunos prestigiaram a solenidade no dia em que a UFMT completa 40 anos de fundação.
Para a reitora Maria Lúcia Cavalli Neder, aquela era uma homenagem a todas as pessoas que construíram a UFMT e ao povo mato-grossense. Com 38 anos de instituição, disse ter vivenciado momentos de todos os reitores da UFMT. A semente plantada pelo ex-governador Pedro Pedrossian e pelo primeiro reitor, Gabriel Noves Neves, se fortificou e “cabe a todos nós continuar semeando”, afirmou Maria Lúcia ao fazer um balanço dos 40 anos de fundação da UFMT. São mais de 40 mil alunos graduados. Atualmente, são 22 mil alunos nos cursos de graduação; quatro mil nos cursos de pós-graduação, 32 cursos de pós-graduação (mestrados e doutorados); cinco cursos de doutorado interinstitucionais; 1450 pesquisas cadastradas; e 256 grupos de pesquisas. Em 2011, serão oferecidas vagas para 100 cursos de graduação distribuídos nos campi de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Araguaia.
No ano da internacionalização da UFMT, 60 alunos estão no exterior; seis professores estão no Japão, nas seis cidades nas quais a instituição oferece curso de graduação a distância para professores. A UFMT é pioneira na educação a distância e referência no país nesta modalidade de ensino.
A solenidade foi marcada pela emoção. Olga de Figueiredo, filha do professor Benedito Figueiredo, agradeceu as homenagens ao pai e destacou as contribuições da UFMT para o desenvolvimento do Estado. Desde 1967, Benedito Figueiredo faz parte da história da UFMT. Ele foi indicado pelo colegiado do Departamento de Letras para receber o título de professor emérito. Indicado pelo Departamento de Letras, falou em homenagem a ele, a professora Maria de Jesus Patatas. Ela ressaltou as qualidades acadêmicas desse seu professor, que fazia parte do antigo Instituto de Ciências e Letras de Cuiabá (ICLC), foi um dos fundadores da UFMT e que somente agora, aos cem anos, recebe seu primeiro título.
O professor João Caramori, da Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia (Famev), autor da indicação, traçou um perfil de Daisaku Ikeda e do trabalho pela paz mundial. Com 82 anos, todos os dias “trabalha ativamente por um mundo melhor através do envio de propostas de paz à ONU (Organizações das Nações Unidas), encontro com líderes políticos, pacifistas, com constantes incentivos a milhões de pessoas entre outras atividades relativas à paz”, descreveu Caramori.
“Daisaku Ikeda enfatiza que paz não é somente a ausência de guerra. Hoje, a construção de uma cultura de paz implica em ações viáveis, dirigidas a três eixos: paz interior (capacidade de cuidar de si mesmo), paz social (capacidade de cuidar bem dos outros), e paz ambiental (capacidade de cuidar bem do ambiente em que si vive). ´Cultura de paz`é trabalhar para que esses três níveis sejam alcançados, para que as relações humanas sejam permeadas pelo diálogo, pela tolerância, pela consciência da diversidade dos seres humanos e de suas culturas. Trabalhar por uma cultura de paz é influenciar a atuação do poder público e de toda a sociedade frente à violência”, discursou.
O presidente da Associação Brasil SGI, Júlio Kosaka, representou Daisaku Ikeda na cerimônia de outorga do título de doutor honoris causa, destacando o papel da UFMT no desenvolvimento do Estado de Mato Grosso. Ele leu uma mensagem do líder pacifista japonês e ressaltou o movimento de internacionalização da Universidade Federal de Mato Grosso.
Filósofo, pacifista, fotógrafo, poeta e escritor japonês, Daisaku Ikeda tem obras traduzidas em mais de 20 idiomas e preside a SGI, organização não governamental filiada à ONU e com mais de 12 milhões de associados em todo o mundo. A SGI está presente em 192 países e territórios, promovendo intercâmbios culturais e busca desenvolver valores presentes de formas diferentes em todas as culturas desde a pré-escola até a universidade. Já recebeu mais de 300 títulos acadêmicos honoríficos de instituições de ensino superior de todo o mundo. No Brasil, fundou a Associação Brasil SGI, em 1960; criou o Centro de Estudos e Projetos Ecológicos do Amazonas (Cpeam), localizado no encontro das águas dos rios Negro e Solimões, que desenvolve projetos educacionais relacionados às áreas de agronomia, engenharia florestal, medicina veterinária, zootecnia e, sobretudo biologia. Em Mato Grosso, há 45 núcleos comunitários já estruturados.
Revolução da educação - O ex-governador Pedro Pedrossian não escondeu a emoção de estar em Cuiabá e receber o título de doutor honoris causa da UFMT e a paixão que nutre pela Capital mato-grossense e pelo povo cuiabano. “Acordei de um sonho longo e me vi em Cuiabá. Não naquela Cuiabá que conheci,” afirmou ao entrar no saguão do Teatro Universitário e enaltecer a generosidade do povo cuiabano e recordar o trabalho feito pelos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
O Diretor da Faculdade de Economia, professor Fernando Tadeu de Miranda Borges, fez um resgate histórico da vida política de Pedro Pedrossian. Governador de Mato Grosso no período de 1965 a 1971, participou da criação e implantação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), da Universidade Estadual de Mato Grosso - hoje Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), e da Universidade Estadual de Dourados – hoje Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).
O próprio Pedro Pedrossian reconhece que a criação e implantação da UFMT foi fruto da pressão da sociedade cuiabana e de sua “mocidade”. “Povo decidido, que tinha um projeto, sabia o que queria, e eu tive apenas o mínimo de sabedoria para entender esse sentimento todo, acabei me transformando na espoleta da grande explosão da construção da universidade que seria, realmente, o fator dessa Cuiabá, da implantação dessa Cuiabá moderna. [....] conviver com os cuiabanos foi a coisa mais gratificante da minha vida, e eu sou um homem feliz porque feliz é o homem que tem um amor. Eu tive esses dois amores na minha vida, esse amor que tenho pela Capital, Campo Grande, e o amor que ainda permanece, absolutamente inalterado pela minha querida Cuiabá” disse Pedro Pedrossian em uma entrevista concedida ao professor Fernando Tadeu , publicada em 2007 no livro “Prosas com governadores de Mato Grosso (1966-2006)”, cuja leitura do trecho pelo autor emocionou a todos os presentes.
O professor Fernando Tadeu fez um rápido retrospecto da carreira política de Pedro Pedrossian desde 1966, quando venceu as eleições para o governo de Mato Grosso. “Foi o político que revolucionou a educação em Mato Grosso. É o pai da educação de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”, resumiu Fernando Tadeu ao lembrar que Mato Grosso, nas palavras do próprio Pedrossian, saiu de “Estado curral para Estado das oportunidades”.
Para o ex-reitor da UFMT, Gabriel Novis Neves, “trazer Pedrossian para a sua casa é identificar o DNA do seu legítimo pai”. Segundo ele, o ex-governador revolucionou o Estado pela educação. “E a UFMT nasceu sob o signo do novo homem”, definiu.


 

Imprimir Enviar Notícia

Rodapé Animado UFMT