Doutoranda vence prêmio nacional sobre teoria da História e Historiografia
 UFMT - sinop - Doutoranda vence prêmio nacional sobre teoria da História e Historiografia

Doutoranda vence prêmio nacional sobre teoria da História e Historiografia

Publicado em Notícias | 05/11/2014

A aluna Gabriella Lima de Assis, mestre pelo Programa de Pós-graduação em História (PPGHIS) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), foi uma das vencedoras da Edição 2013/2014 do Concurso de teses, dissertações e monografias do 8º Seminário Brasileiro de História da Historiografia. Gabriella Lima, que atualmente cursa o doutorado no PPGHIS, foi premiada com a dissertação “A estrutura narrativa em Visão do paraíso, de Sérgio Buarque de Holanda”, sob a orientação do professor Marcus Silva da Cruz.
O seminário é organizado pela Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia (SBTHH). Gabriella Lima venceu na área temática de História da Historiografia Brasileira. O resultado dos trabalhos científicos vencedores foi divulgado em setembro. Além da certificação, a discente terá sua dissertação publicada pela SBTHH.
Resumo - A fronteira entre a História e a Literatura é o eixo que norteou o interesse por esta pesquisa, cuja problemática parte do conceito de narrativa histórica elaborado por Hayden White para pensar a estrutura textual da obra Visão do Paraíso de Sérgio Buarque de Holanda. Em sua obra Meta-História: a imaginação histórica do século XIX, para defender sua tese, Hayden White analisou autores como Hegel, Croce, Michelet, Ranke, Tocqueville, Burckhardt, Marx e Nietzsche, buscando em suas narrativas as figuras de linguagem essenciais e determinando os seus estilos historiográficos. Porém, vale ressaltar que Hayden White não tratou de nenhum outro tipo de produção historiográfica. Dessa maneira, a proposta foi aplicar o arcabouço analítico sistematizado por Hayden White em Meta-História na obra Visão do Paraíso de Sérgio Buarque de Holanda. A análise foi realizada a partir do pressuposto de que as narrativas históricas, entre outras coisas, fazem uso de recursos literários para construir uma “impressão explicativa” do passado, no sentido proposto por White. A intenção foi abordar as estratégias ficcionais de Holanda, uma vez que as obras historiográficas, mesmo não sendo narrativas ficcionais em essência, possuem elementos da ficção, como se quis demonstrar ao longo desta dissertação.
Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (65) 3615 8493.
 

Imprimir Enviar Notícia

Rodapé Animado UFMT