IX Encontro de redES destaca a importância da cooperação internacional
 UFMT - IX Encontro de redES destaca a importância da cooperação internacional

IX Encontro de redES destaca a importância da cooperação internacional

Publicado em Notícias | 15/03/2019

Visando fortalecer a parceria entre os países da América Latina e Caribe e propor estratégias para a superação de desafios comuns, a reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Presidente do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras, professora Myrian Serra, participou, entre os dias 13 e 15 de março, do IX Encontro de Redes de Educação Superior e Conselhos de Reitores da América Latina e do Caribe (Encontro de RedES), na Universidad Nacional Mayor de San Marcos, em Lima, no Peru.
De acordo com a reitora, o evento reafirmou as universidades como bens públicos e sociais, espaços voltados para produção de ciência e tecnologia, bem como de debate e desenvolvimento de soluções para problemas sociais.
“É um espaço em que podemos pensar, criticar, sonhar e envolver-se na proposição de alternativas para a sociedade, com o objetivo de modificar o mundo e torná-lo justo”, apontou a reitora.
Durante o encontro, foram debatidas estratégias voltadas à adoção e cumprimento do Plano de Ação da Conferência Regional de Educação Superior (Cres), realizada em Córdoba, na Argentina e destacou-se a importância de uma rede de solidariedade em favor da região, com universidades públicas, gratuitas e de qualidade.
“As redes são essenciais para compartilhar conhecimento e, por consequência, cultura, ciência e tecnologia, por isso, acreditamos ser essencial o fortalecimento das mesmas, para que se alcancem os objetivos definidos no plano de ação. O GCUB é uma das redes da América Latina e que tem contribuído com a geopolítica solidária na AL e no Caribe”, afirmou.
A reitora também participou do grupo de trabalho sobre a educação superior como parte do sistema educativo na AL e no Caribe e destacou a construção de políticas institucionais contra o racismo e outras fobias. “É necessário um enfoque na interculturalidade na formação docente, buscar resoluções pacíficas para conflitos e valorizar e respeitar os povos indígenas e afro-descendentes”, apontou.
Participaram do evento 245 representantes de redes que agrupam universidades de distintos países da região, como o GCUB, conselhos de reitores e associações nacionais de reitores de universidades de cada país, como a Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e de outros organismos e agências de cooperação ligadas a educação superior.
Acesse a Declaração de Lima.

Imprimir Enviar Notícia

Rodapé Animado UFMT