Projeto de pesquisa vai traçar perfil dos comportamentos de risco à saúde de acadêmicos da UFMT
 UFMT - Projeto de pesquisa vai traçar perfil dos comportamentos de risco à saúde de acadêmicos da UFMT

Projeto de pesquisa vai traçar perfil dos comportamentos de risco à saúde de acadêmicos da UFMT

Publicado em Notícias | 14/03/2018

Comportamentos de risco à saúde de universitários mato-grossenses. Esse é o tema do projeto de pesquisa do professor Tomires Campos Lopes, da Faculdade de Educação Física (FEF), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Biociências (PPgEnfBio), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), o objetivo principal da pesquisa é conhecer em quais comportamentos de risco os estudantes mais se envolvem e o quanto isso ocorre, a fim de traçar o perfil do dos acadêmicos da UFMT, nos Câmpus de Cuiabá e do interior do Estado. As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas na secretaria da Faculdade de Educação Física.
Além da aplicação de questionário do National College Health Risk Behavior Survey (NCHRBS), adaptado para utilização com universitários brasileiros, será ofertado acompanhamento qualificado com profissional de Educação Física para a prática da corrida de rua orientada, em sessões semanais, durante o período de um semestre letivo, e a participação em eventos de corridas na cidade no período da intervenção. Também serão realizadas três avaliações físicas cujos resultados serão apresentados aos participantes e estabelecidas metas individuais tomando por base os dados obtidos.
Os estudos mostram que esses comportamentos de risco estão ligados às Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTS) que são responsáveis por 84% das mortes em todo o mundo. São doenças como o câncer, diabete, doenças cardiorrespiratórias e circulatórias. Segundo o professor Tomires Lopes, essa pesquisa visa contribuir com universidade, “a fim de fornecer dados para que se conheça o real estado dos comportamentos de risco aos quais nossos estudantes se envolvem. Ou seja, conhecer a realidade local. A partir daí permitir que políticas públicas sejam traçadas”.
De caráter exploratória, a pesquisa quantitativa visa verificar se a prática de corrida de rua, em um semestre letivo, é capaz de gerar alterações em relação ao comportamento de risco de estudantes e por doenças crônicas não transmissíveis, tendo como amostra os acadêmicos calouros dos cursos de graduação da área de Saúde.
A pesquisa será desenvolvida em três fases. Na primeira, será diagnosticado o comportamento de risco por meio de questionário para traçar o perfil dos estudantes. Na segunda fase, será realizada uma intervenção com atividade física orientada, com formação de grupo experimental de corrida de rua por um semestre letivo, com avaliações físicas no início das atividades, depois de dois meses e ao final do semestre. E, na terceira etapa, será aplicado o questionário de avaliação do comportamento de risco, para comparação com os dados da primeira coleta.

 

Imprimir Enviar Notícia

Rodapé Animado UFMT