O que é ser estudante na UFMT
 UFMT - O que é ser estudante na UFMT

O que é ser estudante na UFMT

Publicado em Notícias | 11/08/2017

Pluralidade, inclusão e democracia são pilares para uma formação cidadã. Essa relação, permeada pelo diálogo constante entre todos os setores, possibilita não apenas a consolidação de bons profissionais, mas também o surgimento de melhores indivíduos, com forças e ideais para mudar o futuro. Mais que isso: a junção de todos esses elementos está no DNA da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na sua face mais visível, que é o ensino, a pesquisa e a extensão.
Assim, estudar na UFMT é ampliar os horizontes e desfrutar de experiências que se tornam diferenciais em sua formação, em partilha constante com os colegas, professores e técnico-administrativos. E a diversidade e acolhimento são marcas registradas de quem percorre pelos espaços, tanto acadêmicos quanto culturais e desportivos.
Além da disposição constante em dialogar e sanar dúvidas, a estrutura e instalações, como o Teatro, Restaurante Universitário, Parque Aquático e quadras externas, são apontadas como importantes para potencializar a vivência acadêmica em sua totalidade. E neste dia do estudante, os próprios descrevem, desde seu ponto de vista, o valor dessa experiência: ser um estudante da UFMT.
Liberdade e autonomia
A mestranda em História, Deborah Pimenta Martins, destaca a liberdade e autonomia de expressão durante sua vivência na Universidade. “Aqui, na UFMT, podemos discutir e refletir sobre qualquer assunto, com liberdade e autonomia. Além disso, muitas portas foram abertas e hoje, na pós-graduação, estou em plena realização profissional”, comenta.
O estudante de Engenharia Florestal, Rômulo Soares Gomes de Oliveira, de São Paulo, apontou o incentivo dos professores como o principal destaque em sua trajetória acadêmica. “Graças ao diálogo constante com os docentes, consegui a oportunidade de estudar como intercambista na Alemanha, e tenho interesse em prosseguir a pós-graduação no exterior também”, afirma.
O primeiro graduado indígena em Engenharia Florestal, Audecir Rodrigues Vela Arara, guarda com carinho suas experiências em aulas de campo. “O que aprendi lá, pretendo utilizar em meus projetos profissionais. Os professores, sempre dispostos e, sem distinção, sempre procuraram ajudar”, atesta.
Lembranças e vivências
O graduando em Medicina, Henrique Hoshino Kobayashi, narra como a UFMT esteve sempre presente em sua vida: “Quando criança, desfrutava dos espaços abertos do Câmpus de Cuiabá para brincar e correr. Agora, como estudante, a diversidade é um dos diferenciais aqui. Com isso, pude desenvolver mais compreensão e tolerância”.
Proveniente de Tangará da Serra (distante 240km de Cuiabá), o estudante de Matemática, Pedro Hernesto dos Santos, destacou os ambientes como a Biblioteca Central, Parque Aquático e quadras externas, que possibilitam a vivência acadêmica de forma integral. “Além disso, a programação cultural que a Universidade oferece é muito rica. Muitos profissionais formados aqui fazem a diferença”, constata.
Gabriela Pessoa Campos, formada em Engenharia Elétrica, rememora as amizades e o diálogo com colegas, professores e técnico-administrativos como o principal diferencial da UFMT. “Viajei a outros lugares, mas essa acolhida de braços abertos e escuta atenta só são encontradas aqui. Com isso, consegui superar os desafios ao longo do curso”, observa.
Acolhimento ao estrangeiro
De Moçambique, o doutorando em Física Ambiental, Nelson Mário Banga, ressalta a elevada qualidade de ensino. “O programa de pós-graduação é reconhecido como um dos pioneiros na área, no Brasil. Cada dia, compreendo que a missão da Universidade, alicerçada no tripé ensino, pesquisa e extensão, é de transformar a vida das pessoas”, prossegue.
A doutoranda de Ecologia e Conservação da Biodiversidade, Joana Pequito Cristóvão, de Portugal, salienta a estrutura em receber os estudantes estrangeiros como um dos pontos principais da Universidade. “A UFMT é a primeira instituição, dentre as quais vivenciei, que conta com uma unidade administrativa específica para suporte aos intercambistas, a Secretaria de Relações Internacionais [Secri]. Também quero muito conhecer os ecossistemas de Mato Grosso, muita gente daria a vida para estar em um lugar como este”, conta.
A colombiana e mestranda em História, Maria Isabel Giraldo Vasquez, afirma que retorna ao país natal com mais experiências e histórias de vida. “Agradeço imensamente a oportunidade de estudar na UFMT, onde estive muito feliz. Fiquei impressionada com a tranquilidade das pessoas e a disposição na busca por soluções, especialmente com os estudantes estrangeiros”, conclui.
Clique na imagem e saiba o que é ser estudante na UFMT.


Imprimir Enviar Notícia

Rodapé Animado UFMT