Abertura ENDIPE1596

Endipe 2016 coloca a educação no centro do debate em Cuiabá

Mais de 1500 pessoas entre professores, pesquisadores e estudantes marcaram presença no primeiro dia do Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino (ENDIPE), que ocorreu no Centro de Eventos do Pantanal, na noite de terça-feira (23). Serão quatro dias de evento, com 30 simpósios, 300 painéis, 500 pôsteres e lançamentos de livros, onde irá se discutir o que está acontecendo nas salas de aula no país e as possíveis contribuições sobre as formas de melhorar a educação pública laica e com qualidade.

O coordenador geral do XVIII ENDIPE 2016, Silas Borges Monteiro deu as boas-vindas aos presentes e explicou que o encontro foi pensado nas mais diversas circunstâncias vividas e no momento histórico da educação brasileira. Em uma escolha coletiva foi proposto o tema Didática e Prática de Ensino no Contexto Político Contemporâneo – cenas da educação brasileira. “A didática e a prática de ensino possuem relações densas com as políticas educacionais, esse debate não poderia deixar de ganhar a densidade merecida. Não há como deixar de lado o contexto político que vivemos, com preocupações com espaços públicos e os desdobramentos das ações dos governos em todos os níveis”.

Monteiro agradeceu a contribuição dos parceiros e também aos 2.895 inscritos no encontro, entre eles 1.785 professores, 698 pôsteres e 370 painéis inscritos, e destacou que o envolvimento de todos os atores foi fundamental a realização do evento.

A reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Maria Lucia Cavalli Neder, ressaltou as dificuldades de se construir um evento com esse nível de discussão e da democratização do acesso à educação.

“Acompanhei as angustias e os medos dos organizadores desse grandioso evento, pois não é simples realizar um encontro dessa natureza e com esse porte. Parabéns aos organizadores em chegar até aqui, são todos uns vencedores. Aqui estão todos os brasileiros de todos os Estados deste país, é com esse princípio da democratização, da inclusão e respeito à diferença que acolhemos a todos os participantes. Nesse ENDIPE espero que tenhamos nossa coragem reavivada, a nossa luta determinada para que possamos enfrentar o futuro, não muito significativo, para todos nós, quando vemos as políticas educacionais construídas ao longo dos anos sendo questionadas no ponto de vista do próprio segmento”.

A reitora ainda destacou a importância do encontro no processo de formação do professor. “Espero que consigamos sair com propostas importantes para que nós retomemos o caminho da educação brasileira que desejamos, e tem grande significado para a população do país”, pontuou a reitora.

A simposista e professora da USP, Selma Garrido Pimenta, parabenizou a organização do evento e destacou que, em uma fase de crise enfrentada por todo o país, se torna um desafio ainda maior realizar um encontro com essa importância e demonstra um grande esforço da comissão organizadora da UFMT. “Precisamos manter os trabalhos em parceria para cada vez mais aprofundar esse evento, porque hoje ele é o único no Brasil na área da educação que congrega esse número de pesquisadores e professores. Fazendo um comparativo com a década de 70, ao longo desse período tivemos uma evolução de massa crítica, devido ao desenvolvimento da pós-graduação no país, portanto as pesquisas em todas as áreas que se refere à educação e os programas estão sendo apresentados e discutidos, o desafio agora é fazer esses programas serem ouvidos para ter força e ir adiante para fortalecer a educação pública”, finalizou a simposista.

Também participaram da abertura representando o Governo de Mato Grosso, a secretária de Ciência e Tecnologia, professora Luzia Helena Trovo Marques de Souza, e o secretário-adjunto de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado de Educação, Edinaldo Gomes de Sousa.

Autor: Gabriela Carvalho

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Realização

Patrocínio